domingo, 25 de dezembro de 2011

Proseando, das incertezas

Os olhos lacrimejaram
como no último inverno.
O olhar triste e vago
de quem um dia se perdeu.

O tempo lhe curou,
A felicidade consumiu
e o sorriso que antes era perdido reapareceu.

Mas ao cruzar com o verso e a sua prosa,
a poesia se entristeceu.
Seu coração bambeou e o que lhe parecia frio e esquecido, esquentou.

O sofrimento é uma das passagens para o renascimento

Agora o verso e a prosa acoam bailando pelo salão,
de mãos dadas, olhar cruzado ...cheios de planos.

A prosa-bailarina foi tirada para dançar,
o Verso lhe disse baixinho em tom de amor
'Dança comigo amada'

A linda moçoila prosa de vestido longo bailou com o verso
noite e dia, dia e noite. Eles bailam, bailam, bailam e bailam...
Entre sorrisos e juras de amor poéticas. Era o novo amor, que consumia o coração vo Verso.

A Poesia de longe descrevia todo o sentimento...é para isso que ela serve.
Um dia ela já bailou por esse salão com cheiro de jasmim e enfeitado po rosas

Não é apenas uma questão de verso... antes fosse, pois
verso a gente apaga e reescreve, amor não!

Nenhum comentário:

Postar um comentário