sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Par ou Impar

Se eu tivesse que dizer uma palavra nesse exato momento não sei qual seria

Minha cabeça anda cheia dos mais diversos substantivos, adjetivos e pronomes...

Se eu tivesse que me descrever nesse momento, até me descreveria,

Mas, há tantas coisas das quais posso falar, e então, porque falar de mim?

Se eu tivesse que confessar algo cara a cara, confessaria diversas coisas que me atormentam,

Mas aqui ninguém é confessionário, valhameDeus!

Mas já que não há o que falar, o que descrever e o que confessar, vamos apenas brincar!

Em um dia comum, desespero veio me visitar

Eu cheia de lágrimas nos olhos a chamei para entrar...

Desespero para o meu azar não veio sozinha, ela trouxe seus perpétuos amiguinhos, mas quanta emoção!

Face a face com ela e ele, eu lhes disse milhares de coisas...

Disse diversas bobagens nas quais eu mesma quis acreditar, só para matar, aceitar e enganar minha dor.

Porém, depois que todos se foram e eu fiquei a pensar, logo um surto veio me tomar

Eu fiquei pensando de que tudo isso ia adiantar?! Afinal, para que se enganar?!

Quando eu disse que o sentimento foi leviano, que ele logo encontrou-se em outra face, que eu tive a oportunidade de esquecer, que eu quis esquecer, eu menti!

Menti para não doer.

Mas há diversas coisas verdades que eu mesma escutei, e que mesmo sem acreditar,acreditei...!

Escutei hoje de alguém, um sábio alguém: 'Conhece a sua verdade Bha'

Fiquei a pensar, a olhar, a escrever...É verdade, ele tem razão!

E eu fico aqui a pensar, quando há de dar o momento linear de uma prosa solta no ar...

Querida Curitiba, muito obrigada pelos dias de frio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário