segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Me virando

Minha sede não tem explicação.
Eu sinto a taça enxer e o meu coração acelerar!

Pelos arredores

Após tanto tempo,
Tantos minutos e segundos eu voltei.
Voltei com a maior cara lavada,
Sem vergonha nenhuma
A mercê de você!

Data tão querida, foi a independência...

Sábado começou quente,
Estabilizou morno e
Terminou fervendo.

sábado, 12 de novembro de 2011

Gaucheando

Eu gosto de ler as poesias de Carol,
Pois Carol sabe falar manso e mesmo assim diz muito.

Gosto também de Marilisa e Yuri,
Pois Marilisa e Yuri desabam o amor

Adoro me deparar com Tales. É raro, mas, as vezes o acho nas curvas de sua poesia voraz, impetuosa, crítica.

Fico ligada para ver quando Edek vai dar o ar de sua graça, Poesia forte, real, sempre falando de maneira leve e sincera sobre acontecimentos, fatos. Edek é uma poesia auto-retrato.

Acho maravilhoso o Realismo de Guigo, sempre falando da vida, dos momentos, de seus amigos e de seus amores. Canta saudosista a indecisão. O vai não vai, o foi...ou o irá!

Gosto de todos os Gauches, pois...os Gauches sempre estão aqui, fortes. Tentando trazer a esse mundo, um pouco mais de essência.

Ao redor do Intimismo

Não entendo porque de críticas assíduas ao intimismo
Estão por toda parte, são vorazes!

'isso é coisa de bixa, fumado e atoa'

Eu não tenho culpa se você não sabe sentir.

Sobre qualquer coisa...

Qualquer coisa é querer tudo
E mesmo querendo
Não saber exigir
E aceitar...

Qualquer coisa!

Vamos lá

Está em tempo

Tempo de abraçar o irmão
Se aproximar do primo
Chorar no colo da mãe
Beijar o amigo

e

De enxer o copo
virar assunto de natal.

Tá em tempo, corre.

O Noel tudo vai perdoar!

Para a Saudade de Escrever sobre a Saudade

Eu acredito na Saudade
Saudade é palavra bonita.

Gosto da palavra Saudade
Ela possui um ar sentimental perticular

Saudade é coisa de um só e de todos
É bom se abraçar após tanto tempo

Saudade é para todos
A Saudade é assim, sem preconceitos.

Borboletinha. Voe e Fique ao mesmo tempo

' Eu não me lembrava de como era ter borboletas na barriga'

Das coisas que eu sei

Escrever sobre amores e de amores é bom,
Porém, sinto uma saudade constante de escrever sobre qualquer coisa!

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Tempo

Fazia tempo eu não sabia
Como era me encontrar assim...nas coisas perdidas!