sexta-feira, 2 de julho de 2010

a que preciso

Preciso de uma poesia,
um papel A4,
uma taça de vinho e bons pensamentos.

Como o que ela fazia
versos; mais para fatos
cultuados como pergaminhos
com seus ensinamentos


"viva!" ela pregava, dizia:
para corpos inatos
para olhares mesquinhos
sem felicidade nem sofrimento.

ansiosa, esperava o diamedia meticulosamente cada um de seus atossó precisava de rimas e um gole de carinhode sua alma, apenas um fragmento.

(Bharbara, Guigo, Tales, Marilisa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário