quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sendo, seremos. Agora, já somos!

Ao mesmo tempo que sou, não sou
E ao mesmo tempo que quero ser, não sei ser
Não saber,saber, ou simplesmente não querer
É uma opção, e não uma resolução
Sendo, sou. Não sendo, não sou
Porque querer? Se querer não é sinônimo de ter?
Para que sonhar, se sonhos não são?
Vivendo em um mundo lírico e onírico, o amor se torna satírico
Vejo minha própria imagem não ser

E com isso, cheguei a conclusãoNão sou mais sonhos, luzes ou suspiros
Não sou mais fonte, casa, ou abrigo
Não sou mais filho, primo, ou irmão
Agora não sou nem mais bêbado, nem mais são
Quem eu fui? Fruto da rebeldia com a mediocre sociedade!
Fruto da bandidagem com a santidade
Fui, modestiamente, o fruto podre da humanidade

Feito um homem da sociedade fico a pensar
Nas idéias que a mesma tenta me ensinar"Ser ou não ser, eis a questão" dizia hamlet
Que enfrentava em seu meio a contradição
Coisas loucas, malucas, desconexasSão o que move uma rede de mentiras
As quais estão no dia-a-dia, até nas criançasMas porque elas existem então?
Isso não tem resposta, pois até a resposta pode ser uma mentira!

por (bharbara, João, Tatsuo)

Um comentário:

  1. Deveriam ter feito um decreto sobre copiar cometários... =PPP =D

    ResponderExcluir