quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O contraste

Andaste por longe
Tua face não vê mais a minha
As roupas permanecem intactas
Os lençois então, nem se fala
Eles continuam alinhados com a forma do teu corpo
E tua escova de dente ainda possui a pasta da última escovada.
Eu, com uma saudade infantil
E com a sensação de uma mãe que perdeu seus filhos
Preferi deixar tudo da mesma forma que tocaste da última vez
Não quis alinhar os lençois, muito menos lavar a escova
Caminho pelo quarto, de um lado para o outro
No corpo, carrego sua velha camiseta branca básica, aquela que você adorava usar para ir até o parque
Na face carrego a tristeza sa solidão e a inconformidade com os fatos
Em cada pulso, ando com uma fralda de pano amarrada, que significa os dois anjos que me tiraram
Na mão, carrego a porcelana, aquela do café da manha de cada dia em que eu tomava meu chá de camomila.
Não deixo o sol entrar, a casa anda cheia de pó e mofo
Morro de medo que ele possa modificar qualquer coisa nesse lar
Também não deixo absolutamente ninguém subir
Os únicos que as vezes dão as caras ,são verbos, adjetivos e substantivos, mais todos são tristes
No espelho ainda há a foto de nós dois e nela eu ainda tinha um ventre avolumado de 5 meses, e o mais legal, tinha aparência feliz.
Olho e logo me culpo
Lembro deles dizendo
"as contrações são psicológicas"
Me fizeram dormir, amor
Para eu poder não sentir a dor do parto, que na verdade foi o aparto
Após isso seguimos caminhos diferentes
Miguél e Vitória no céu
Você saiu para pensar, e na verdade foi é buscar um caminho novo
E eu? eu continuo aqui olhando e pensando na vida que era para ser
Agora já não visto mais sua camiseta
Faz um tempo que caminhei até o quarto e tirei o longo vestido de noiva do guarda-roupa
Ele está amarelado, mais ainda continua guardando boas lembranças.
Coloco-o em meu corpo
E com uma tesoura, corto um pedacinho da roupa dos abortados, e um pedacinho da sua
Costuro elas com uma linha branca no vestido, assim sinto vocês mais próximos
Prendo o cabelo de forma descomunal
Passo uma maquiagem envelhecida, e saio pela porta
Vou pelas escadas, e logo saio na avenida
Boto meus pés descalços no chão, e saio caminhando
Caminho bem pelo meio
E prefiro andar de pés descalços,assim consigo sentir tudo mais de perto
Tudo da forrma que realmente é, sem ter nada para amortecer
Pois na minha vida, nada foi amortecido
O transito para,
Logo escuto os gritos : "Tirem essa louca dai"
Eu apenas escuto, e continuo caminhando,
Arrastando o longo vestido branco pela avenida,
Derramando minhas lágrimas de dor,
E pensando o porque de não ter sido diferente.
Deixo a porcelana cair,
Ela quebrou,
E mais uma vez, meu coração suportou.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Brincadeira quotidiana

Quanta besteira,

Quanto beijo, sorriso e abraço totalmente no descompasso.

Vejo milhares de faces felizes com o eu interior clamando por pudor,

Quantas cabeças avoadas e sem rumo algum, perdidas em um tempo frutacor,

Quanta alma penada, que apenas vaga, sem saber o dia de amanhã.

A besteira quotidiana,

O grito do imperador, e a opressão do inferior.

A sede pelo prazer,

A busca incurável pelo fazer, sem ao menos saber, se de algo vai valer,

Se quem sabe até as flores amarelas e afáveis do jardim, um dia vão lhe agradecer.

Nem os passaros se atravem mais a cantar,

Pois eles sabem, que qualquer cantarolar com um novo expressar podem lhes deixar em uma casa vazia e sombria, onde nem o sol se atreve a entrar.

O oprimido se fechando, como se nunca fosse desabrochar,

O mais forte debochando, e demonstrando o sorriso vazio que estampa na face caida e flácida.

O sol ainda brilha e o ar ainda se respira,

A ação reanima o coração que talvez necessite de paixão, ódio e até quem sabe rancor.

Na rotina quotidiana não há saida, ou você mata o tédio, ou ele te mata,

O bel prazer, não acompanha mais o requebrado da morena na praia,

Parece que a morena murchou, e que seu coração foi elevada ao quadrado imperfeito de alguma coisa.

A luz apagou. E agora maria, com quem está as velas?

De que adianta velas, se não há fogo.

Vejo, remexo, esclareço.

Mentira, eu mal sei por onde começar esboçar.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Sem saber

Acordei com a sensação,
Será hoje mãe, que tudo vai se acertar?
Ou será, que tudo realmente vai estagnar?
Eu levantei, e junto de mim havia a sensação.
No corpo, o velho pijama de bolinhas surrado,
A pantufa de mostro,
E o pensamento interminável.
Mãe, onde está a xícara do mickey?
Eu ainda tenho idade para usar.
Protesto, Eu quero...
Quero meu café forte, Quero minha vida, Quero minha alma.
Mãe, eu levantei amarga, e agora?

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

silêncio

A voz calou,
E o beijo parou.
Lá, o olhar passou.
E sua lembrança ficou!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Céu

A clareza, de mãos dadas com a experiência
O desprazer, junto com o desdém do desfazer,
A vida vida perdida analisa,
O encontro, junto com o revolto aborto.
A flora, a aurora, outrora.

crédulo

Que cristo, baseado no anticristo
E com a face de Jesus Cristo,
Ousaria me dizer,
Que até nas bolhas do ferver.
Há amor!

Duas faces

Mulher errante. Amante!
Olhar perdido dentro da estante,
Dúvida precária, dúvida sanguinária,
Grito de glória. Inglória!
Inglória bem perto da vitória.
E ausente, na história.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

.Verso solto

Vó, onde as flores se esconderam?.
Eu não sei, não vejo mais cor, aroma, sabor.
Será Vó,
Que fui eu quem perdeu o fervor?
Ou quem sabe, até o clamor?
Já são 20 hs, e o tempo não passou,
Tudo estagnou,
Inclusive o útimo que me beijou.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Laço

Junto ao farfalhar das folhas lá fora,
Sinto o sussurro em minha cama,
E o sabor em minha boca;
No correr das folhas pelo terreno,
Corre tuas mão entre meus seios, pálidos e gélidos.
Tua boca bem de encontro a minha,
E pronto. Tua vida já é minha.

Bem, Vem...Viver bem

No auge da infância,
No fim da esperança
Da vida esplendorosa,
Dos quatro verbos:Amar, Sorrir, Viver, Chorar.
Quanto a viver,
Não sei bem se vivi
Bem, vem.
Vem, bem.
Vem, ver.
O bem da vida, Bem
O Bem de estar e de viver.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Do amor ao amar

No céu, réu, véu...tudo em um só papel.
Na brisa, vem marisa.
No compor ,o suor
Na decisão, vem joão
E no amor, vem calor
No mar, soprar, ventar...tudo em um só trilhar
Na maresia, se encontra a poesia
No escrever, estou a entenderNa escolha, eu vejo as folhas
Que ao cairem, me fazem sentir
Que o gostar faz....Faz o amar


Por Heitor e Bharbara.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Malandro nato

Você é diferente malandragem.
Você nasceu com o dom de viver,o dom de aproveitar, o dom de saber dosar.
Você é diferente malandragem, você sente o ar, sente o mar e até o acabar sem se lamentar .
Você é diferente malandragem.
Você consegue levar, aproveitar e até se aproximar sem se exaltar.
Você é diferente malandragem, você nasceu com amor e a dor, unidos em um só sabor.
Você é difente malandragem, quando você passa todos comentam, "eis aqui o saber cheio de ginga, prazer e desprazer".
Você malandragem, não pediu para ser assim. nasceu , se criou, e hoje entende até de amor!

Dedicado ao Guigo.

.Phudidos, o nobre!

Em algum lugar do tempo, deparo-me com phudidos.Criatura afável e de inteligência aguçada...não me recordo onde, mais em breves relampejos uma mistura de fatos vem de encontro a mim.O cárcere de onde saimos a aproximadamente 1 ano,o palácio onde as pessoas vivem aprisionadas dentro de gaiolas, onde a expressão te mata!
sim, mas eis que o caminho que nos conduzia rumo à tão sonhada liberdade mostrava-se tão inóspito quanto a masmorra. Por toda parte Phudidios era acossado por seres disformes, com pequenas cabeças, empunhando seus virtual-pets com agressividade e lascívia, enquanto outros vomitavam, pelas parcas pedras que cobriam o caminho antigo, a comida indiana ruminada há semanas em seus estômagos flácidos.

Em parceria. Bharbara e Paulo Élói.

.Pergunta

Vou te perguntar
Até onde vai um olhar?
O que se faz para gostar?
O que caracteriza o amar?
Venho lhe perguntar,
Até quando há de dar,
O momento linear
De uma prosa solta no ar?

.Assim como coca cola

Não tomei por não tentar
Mas você, você me toma sem ao menos questionar
Me toma em ato subliminar
Me ganha com um sorriso secular
Me faz afundar, apenas com o deitar

.OOOAOO

O verde do mar,
O decifrar com um olhar,
O caminhar devagar
A solução sem terminar,
O amar sem continuar,
O expressar no luar.

. Ao gauche

viva
Poetas,
Sentimentalitas.
Contistas,
Realistas.
Poetas, Contistas, Cronistas,
Não importa, todos estamos aqui, nessa sala reunidos
Apreciando uns aos outros.
Meus amigos, venho lhes falar
É um prazer sublime e real, poder desfrutar do dom que cá está!
O vento move e comove
O pensamento não abandona,
A mão é compulsiva
E a mente, é insana.
Amigos, venho lhes falar
Eu amo estar, e desfrutar, do prazer que cá está

.Ao vento

Vento vem, vento vai!
Dizem que o vento move e comove, mais esse apenas estagnou.
Se for para mover que mova para o certo, pois do incerto já me cansei;
O incerto me consome, tira de mim a realidade e me faz viver na alucinação;
Ele devasta o meu querer e não move minhas vontades
E eu continuo aqui, observando tudo...
Principalmente o tempo, esse ausente tão presente, que corre sem eu saber , que não me dá bom dia, muito menos boa noite..ele apenas passa por mim como uma alma vaga;
Ele parece não se interessar pelas horas da minha vida, pelos dias rápidos que não me deram prazer, muito menos de me dar uma hora diária de reflexão.
Vento e tempo, eu lhes imploro...venham mover e me deixar ver as velhas e surradas toalhas de minha mãe se mover.
Pois assim saberei que presente estão.
Vento, tempo, pensamento, medo... Não me deixem só.

.Perdição

Tentando decifrar o prazer que me atrai,
Para perto do teu olhar
Para perto do teu eu singular
Para perto da taça de vinho quase vazia.
Tentando entrar para dentro de você, apenas com um dizer
E ao mesmo tempo tentando não conter o prazer.
E ai, foi bom pra você?!
Susurro lentamente, após você deixar eu me perder na mesma cama que você.

.Dança de véspera

Olho na face, vejo algo além do eu
Olho no chão, procuro algo além do são
Olho pra cima, procuro um réu, ao contrário do céu!
Vejo na fase, o descaso voraz
Vejo nos dias, o dia além
Me movo, me atrapalho, me comovo!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

.normalidade

Eu sou absolutamente normal,
Tirandoa parte que não passo por meio de postes,
Que tenho mania de tocar tudo números pares de vezes,
Que lavo minhas mãos compulsivamente,
Que não durmo de pés descobertos.

Sou normal até quando penso a quantos m/s algo está caindo,
Quando penso o estrago que ia causar se um um bi-articulado me pegasse a 150 por hora,
E impacto que teria.

Sou normal até quando penso em casar de branco,
E até por pensar que alguém vai aceitar casar comigo, vê se pode né.
Sou normal, até quando olho para o céu e penso que a lua tá feia,
Sou normal quando penso que não sou mau humorada.E
sou anormal, quando vejo que sou tudo isso

. Em algum lugar

Não saberia como começar,
Então começo pelo fim,
Nada saiu como o previsto,
O imprevisto se sobresaiu,
Eu, em ato implícito
Apenas sorri.
Então, eu sai
E em ato de ser, fui seer
Cheguei ao fim, e agora estou aqui,
Matando de tédio, quem permanece aqui.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

.Aconteça

Crie, veja, Seja
Dance , cante, esteja
Escreva, rime, entorpeça
A mente insana que esqueça
A rima perfeita, O paralelismo que conheça
O mundo que seja
Que descreva
Enquanto você, aconteça!

para o maicon.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

.roupas

Vieste para perto ,
Com uma face angelical,
E uma inocência surreal.
Eu, sem nem pensar, deixei-te entrar.
Olhou para mim,Perguntou coisas bobas,perguntou até da minha roupa
Eu, sem pensar ,lhe respondi!
E no dia seguinte sofri, pois tive que juntar todas as roupas
Pois o chão elas habitavam

terça-feira, 3 de novembro de 2009

.O que será?

Junto ao luar,
Eu saberia afirmar,
Ou até contar,
Quem sabe até dançar,
Um tango argentino a beira mar.
Talvez eu pudesse mergulhar,
E no azul piscina do mar,
Eu poderia encontrar.
Quem me dera, saber voar
Pois no longe do passar,
Assim que eu te beijar,
Eu poderei afirmar algo a mais.
E o resto, fica subliminar,
IMPLÍCITO.
"eu só falo uma vez"

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

1 minuto

brisa suave
beijo no impasse
amasso no contraste

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

.Fogo

No escuro da noite, acendeu minha luz
Me fez queimar , me pôs em chamas
E eu, não posso negar
Eu não quis apagar.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sendo, seremos. Agora, já somos!

Ao mesmo tempo que sou, não sou
E ao mesmo tempo que quero ser, não sei ser
Não saber,saber, ou simplesmente não querer
É uma opção, e não uma resolução
Sendo, sou. Não sendo, não sou
Porque querer? Se querer não é sinônimo de ter?
Para que sonhar, se sonhos não são?
Vivendo em um mundo lírico e onírico, o amor se torna satírico
Vejo minha própria imagem não ser

E com isso, cheguei a conclusãoNão sou mais sonhos, luzes ou suspiros
Não sou mais fonte, casa, ou abrigo
Não sou mais filho, primo, ou irmão
Agora não sou nem mais bêbado, nem mais são
Quem eu fui? Fruto da rebeldia com a mediocre sociedade!
Fruto da bandidagem com a santidade
Fui, modestiamente, o fruto podre da humanidade

Feito um homem da sociedade fico a pensar
Nas idéias que a mesma tenta me ensinar"Ser ou não ser, eis a questão" dizia hamlet
Que enfrentava em seu meio a contradição
Coisas loucas, malucas, desconexasSão o que move uma rede de mentiras
As quais estão no dia-a-dia, até nas criançasMas porque elas existem então?
Isso não tem resposta, pois até a resposta pode ser uma mentira!

por (bharbara, João, Tatsuo)

sábado, 17 de outubro de 2009

.Fases

.Não dessista
As estrelas ainda olham por ti
O sol não se sente mais sozinho
E a lua me disse que pode ser sua melhor confidente.

Sua felicidade acredita em você.
As folhas caem para celebrar a mudança da estação; Assim como suas lágrimas...
Dias melhores virão.

Não importa o quão distante esteja
Não interessa quantos passos tenha que dar
Dias melhores virão. Sim, eles virão

Assim como a lua vem de encontro a mim
Assim como a necessidade do ser me chama
Assim como a idiotice foi me destinada.
Mais isso não importa, o importante é que dias melhores virão!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

.Passageiro

Como um vento passageiro o amor veio,
E da mesma forma que veio...se foi!
Não adianta chorar, espernear, gritar...ele não vai te escutar,
Muito menos vai voltar
Apenas levante-se,
Pegue suas velhas e surradas roupas,
Alcance seus sapatos desbotados...e caminhe!
Finalmente, quando encontrar um bom lugar..sente-se;
Conte suas lamúrias a uma árvore.
Pois ela não vai te criticar, muito menos te enganar com mentiras infames.
O amor nos faz reféns, nada deveria ser assim...Muito menos o amor!

sábado, 10 de outubro de 2009

.Paixão

Gosto do papel, ele me atrai.
Gosto de pensar que quando escrevo formam-se garranchos pelas folhas brancas, assim eu posso ver que no nada eu criei algo que faz parte de mim .Algo que eu dei vida, e ninguém além de mim soube os motivos insanos de aquilo nascer. É mágico e ao mesmo tempo frustrante. Escrevo, logo existo..logo me conheço..e me conhecer da medo!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Teorema bha 2009.

Na verdade, o estado de tédio deriva da consequência inercial de nossos atos
a ações que derivam do propósito engendrado põe uma série de paradigmas e circunstancias em um movimento absurdo, rompendo-se, assim, o cadenciamento natural que jamais será restaurado ao estado anterior
a simples ocorrencia do que se busca não é capaz de atenuar o estado de angústia fruto da assincronia que há entre o tempo mental e o tempo lógico, o nosso tempo lógico, frise-se
por ser lógico, há de se equilibrar a angústia (senão torná-la suportável), com o lado direito do cérebro, ou seja: abstrato, abstrato anti-cartesiano
mas não de forma exógena, e sim endógena, expressão plena do interno, de forma a trazer ao tempo cronológico o que se passa dentro, uma forma de expulsar o produto dos pensamentos que teimam em mudar nossa vida
para pesoas como nós, tudo é sempre um tremendo esforço de ser... sempre...
o que acaba por nos expor a doenças, o que pode abreviar nossa vida...
mas dependendo de como se está, quem quer viver?!

:) C.A.M.F!

sábado, 3 de outubro de 2009

.Holometábola?

Queria mudar, mudar radicalmente...pintar meus cabelos de preto e passar mais despercebida do que já sou! Queria mudar, mudar a forma de pensar, ser menos exigente e mais conformada. Queria mudar, mudar a forma de amar...mudar a forma de como se aproximar. Queria lêr sem fronteiras, sair do padrão, não ser mais um em um milhão. Queria ser diferente do que sou, ser alguém melhor, alguém mais legal, alguém mais moldável. Queria ser menos exigente, menos ânciosa. Dominar o que não consigo, botar o fato em ordem orreta, eliminar o que não presta, não ter aproximação com o mal feito e inacabado. Queria ser mais mulher e ao mesmo tempo mais menina; queria sonhar com uma facilidade imensa, sem ao menos exitar em pensar que há realidade, em que há uma inexorável realidade onde ao mesmo tempo
que há, não há!
Queria só mais um café, para acabar a noite com minha insônia e minhas escrituras...todas jogadas pelo chão, para que eu possa caminhar sobre elas e ver o meu mundo, o meu ser, a minha própria feição recitada em versos soltos,onde apenas eu, só eu,somente eu possa caminhar e sonhar.
Martha, mais uma dose..dessa vez, de auto conhecimendo. Por favor!

Número Racional

Que minha insanidade seja louvada, o dia em que todos virem racionais!
Sentada aqui em um lugar um tanto quanto distante, observo o comportamento humano. Observo a vida pacata e sem ação de alguns; Seria eu e mais alguns a malária causadora da desordem? Nós, com nosso pensamento interminável e a nossa sede pelo correto os equivocados? os que não prestam?os incertos?
-Oh criatura sombria, o que fazes aqui do meu lado?
- Vim lhe saciar a sede da revolução com apenas algumas notas. Trago comigo a cor, a imagem e a quantidade da solução! (peixe, azul...e milhares), tudo pelo seu silêncio.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

. ah, que dia... rock, frio, reflexões, café!
- precisa de mais alguma coisa senhora?
- sim, mais uma dose de insanidade martha..por favor!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Amor maior, é assim que eu os defino.
Não existe nada mais importante nesse mundo do que eles, não existe ninguém que consiga subistituir o que eles são, e acima de tudo o que fazem por mim!
Eles são a luz nas horas difíceis, são a base, são o meu ser!
São a melhor e talvez a mais eterna parte de mim.
Possuem o conhecimento, e sendo quem são os transmitem para mim.
As vezes brigam, falam alto, olham feio, castigam...mais acima de tudo continuam sendo os melhores.
Na verdade eu não consigo os definir, é algo maior, é algo mágico, é algo mais belo do que pelavras soltas em um blog.
Eles não tem apenas UM significado, eles possuem muitos. Eles são a junção das melhores coisas existentes no mundo.Eles são meus guias!
Eu não saberia dizer em poucas palavras, muito menos em muitas...
Quando somos mais novos não ligamos muito, não nos interessamos muito, não damos muito valor...Porém quando crescemos conseguimos (graças a Deus) assimilar direito quem eles são e o quão importantes são.
Apesar de ela sempre me dizer "parece que sempre nos coloca em segundo plano", eu calo..prefiro não falar, prefiro não comentar, muito menos questionar. Apenas aceito. Mais aceito com uma vontade de dizer tudo o que quero..mais eu não consigo! Ninguém melhor do que eles para saber como eu sou. Para saber a difículdade de demonstrar carinho, amor, afeto! Enfim, eu não sei ser diferente. Eu gosto mais das palavras!
Eu só queria deixar registrado um pouco do amor que eu sinto pela minha família, e dizer que sem eles eu não sou!
E que eles são e sempre serão os meus melhores...e que sem eles eu simplesmente não sou!
Nós somos a junção perfeita, mesmo as vezes não sendo.
Benditos são eles que caminham ao meu lado, e dividem sua luz comigo!
mommy, daddy-s,magy(tia), granny, didi (Ulrich),

eu amo vocês sem igual ♥
- Juntas somos a amizade, lealdade,cumplicidade,felicidade
- Juntas conseguimos combater o mal, mesmo que ele esteja em seu estado maior
- Juntas somos incontroláveis e ao mesmo tempo controláveis
- Juntas somos um amor sublime, um amor de irmãs, um amor familiar extenso
- Somos a prova viva de que se uma amizade é verdadeira, ela dura...
- Juntas somos confidentes
- Juntas somos a proteção, não aquela proteção normal. Somos uma proteção maior, com um Q" a mais.
- Juntas sorrimos, choramos, conversamos, trocamos olhares, nos abraçamos, nos damos broncas, e as vezes até usamos palavras duras uma com a outra
- Tomamos as dores uma da outra, não deixamos que qualquer um ouse bagunçar tudo!
- Juntas somos um ciúmes tresloucado, quase que doido
- Juntas formamos uma história sem igual, juntas conquistamos, gritamos, comemos, compartilhamos, ensinamos, damos força, brincamos.
- Ao mesmo tempo somos muitas...e sempre somos uma só! Um só amor, uma só palavra, uma só definição: Amigas!assim nós somos e sempre seremos. Daqui até o fim de nossas vidas. Nós possuímos o mais sublime amor, a mais sublime evidência de que unidas somos fortes. Não importa a que distância estivermos, não importa quanta mágoa guardemos, não importa o quanto seja difícil algumas coisas, as quais só nós sabemos. Não, não importa! Nós sempre fomos e sempre seremos aquelas que não ligam para o que os outros pensam, muito menos se importam de demonstrar o carinho que sentem pelos outros, que não se deixam levar pelo que os outros vão pensar, que sorrimos mesmo nos momentos mais difíceis..que estamos sempre juntas!

Para aquelas que fazem os meus dias sempre bons, não importa onde elas estejam e quão distante de mim elas estão. Me basta saber que as tenho como amigas e que elas existem!

Talita, Nara, Lana, Ana Carolina, Marina. Vocês fazem parte da minha família e do meu coração!

- Eduardo, filho de uma das minhas melhores...seja bem vindo a esse mundo doido! Que você venha cheio de luz, saúde, e traga uma união sem igual. Que você seja um anjo entre nós.

domingo, 20 de setembro de 2009

Deveria pensar em algo bom, legal e interessante;
Mais nesse exato momento não consigo elaborar nada de tão surreal e sublime como a forma dos anjos!
Pensar, elaborar,dizer, revolucionar,totalizar,subritrair,dividir,multiplicar, tudo está nas entrelinhas da vida. Papel, caneta, idéia,fato, importância..tudo some, ainda não sei explicar por qual motivo.
Meus pensamentos, minhas idéias, minhas escrituras...algumas delas se encontram armazenadas em algúm lugar de meu quarto, e as outras..bem, as outras estão contidas em mim, no meu eu, no meu ser aparente, que nesse momento encontra um nexo para tudo que acontce, pena eu não expressar tudo isso de forma concreta e satisfatória.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

14x10
15x10

é assim que me sinto!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

sem métrica

Figura plana,
Olhos perdidos,
Vida turbulenta,
Ausência de tempo,
Cabelos sem pentear,
Olhos fixos em algo,
Desejo de algo forte,
Apego com coisas bestas.
E a falta de força para o desapego.
Ela caminha, caminha e caminha,
E finalmente encontra a solução nas prateleiras de seu quarto!
Ah os livros! Ela não está sozinha.

domingo, 13 de setembro de 2009

estrelar

O vento que escorre pela face,
Leva junto consigo algumas lágrimas nostalgicas.
Após breves, ou talvez não tão breves reflexões você se sente mais vivo, mais forte.
As estrelas que antes tinham um aspecto triste,
Hoje me servem de orientação,
E acima de tudo,
De esperança de dias melhores

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

.Começo esse texto sem saber como...deveria saber, pois ele está sendo dedicado a algumas pessoas necessárias em minha vida!
Dedico esse texto aos meus melhores amigos.

Não consigo entender como alguém vive sem amigos, amigos são espelhos da alma, são a base quando tudo está perdidio, são a luz em meio a muita escuridão. Eu não sei o de vocês, mais os meus são assim. Amigos de longa data, amigos de nem tão longa data assim...mas que são essênciais para algo chamado 'amizade' , a qual me é necessária.
Amigos são anjos, amigos são amigos...existe definição?! Sim, existe! Para os meus existe. Meus amigos são os melhores, eles me escutam, me entendem, me aconselham e acima de tudo me aceitam como sou. Não ligam se eu estou de all star velho ou blusa rasgada, eles continuam ao meu lado ....sorrindo , conversando, dando força. Aos meus amigos apenas digo :" Eu estarei com vocês sempre, daqui até a eternidade"...assim vai ser com meus amigos de VERDADE!
Eles sabem respeitar meu silêncio, sabem ouvir minhas dores..e além de tudo isso, tem a fórmula para melhorar meu atrasl. Tiram de mim o sorriso, botam em meu coração mais amor, falam besteiras.
SIM, EU TENHO OS AMIGOS MAIS DOIDOS!
Na nossa mesa prevalece o conselho :" pense mil vezes antes de falar, pois tudo poderá ser usado contra você"
- tome cuidado com movimentos suspeitos
- proteja seus seios contra os famosos "peitinhos"
- fale besteira, muita besteira.
-se é novo, não fale nenhuma besteira.
-leve todas as brincadeiras na boa, caso contrário vai ficar nervoso SEMPRE
-aprenda ironias....

Meus amigos são meus amigos, e para mim..eles são os melhores. os seres mais amáveis e adoráveis da face da terra..mesmo com seus mil e um defeitos

dedicado a todos que são meus amigos, eu amo vocês!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

.Confesso mãe, hoje ao chegar no colégio um sentimendo avassalador me consumia por dentro e por fora
.O olhar perdido e o mero intuito de não ser ,deixaram minha alma um tanto quando vaga... mais do que ela já estava
.Passei horas, minutos, segundos em plena reflexão de tudo aquilo que me assombrava, e não cheguei a conclusão alguma
.Fiquei quieta, em silêncio tardio.Estática e ao mesmo tempo em uma viagem alucinógena a u lugar distante, o qual eu jamais pensei que visitaria novamente.
.Não gosto de conversars, não gosto de contar, tudo parece sem nexo à aqueles que ouvem quem vos fala, meio sem sentido continuei...no sombrio vale das sombras
.Uma nota breve sobre tal vale. "ele é sombriou, apenas aqueles com ausência de sentimentos vagam por lá, aqueles que se sentem rejeitados, mal amados, desiludidos.
. Confesso, eu estava lá
.Tive conversas;conversei com pessoas íntimas...amigos, amigas (os quais são poucos), me senti melhor e mais viva, mas o que realmente me tocou (digo-lhes em um bom sentido) foi o texto produzido por um mais novo amigo, porém o qual já é muito especial...aquele texto me fez chorar, refletir e entender as coisas por outro ângulo. Algumas pessoas podem não se importar, mais existem aquelas as quais realmente se importam! Além dessa , outras várias! Confesso, ainda enxugo minhas lágrimas , as quais não vejo mal nenhum em contar-lhes.
Obrigada, Obrigada, Obrigada!

agradecimentoa especiais a aqueles que não me deixam cair nunca, e que são minha base de apoio sempre,não importa o quão errada eu esteja, nem o quão perdida eu esteja, a luz sempre está com eles, e benditos são por a dividirem comigo...
Mommy , Daddy, Ulrich (didi) Vóvó , Magy (tia)!
Edek ,por fazer o mais belo texto e por se importar...e por ser um dos mais novos e mais importantes amigos que tenho!
Lana baroni, por sempre me socorrer
João breda, por me escutar e me aconselhar
Marina costa, por estar presente mesmo com seus problemas
Talita Malewshick, mesmo estando na alemanha, se importar e ser a minha melhor
Nara priscilla de Aquino, por ser meu espelho perfeito!
Fábio alexandre, por me fazer rir nas oras mais derradeiras
Filipe Lopes, por ser sempre assim..doido.porém você e por me escutar e aconselhar, por falar a verdade, por não mascarar a mentira!
Partes de mim, ♥

por,bharbara aymèe!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

tic, tac

tic tac,
tic tac,
tic tac,
E tudo continua na mesma.
Nem a velha toalha de minha mãe se moveu,
...nem vento há mais!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

.Resta Um

.E o que restou?
.Restou a ausência de sentimentos
.Restou o paladar tentando decifrar a mistura quase homogênea e indecifrável dos sabores
.Restou a parábola com concavidade para baixo, o resistor não equivalente..e acima de tudo a ausência do sujeito!
.Restou o eu lírico oculto e sem sentido
.Restou a falta se soluto em uma solução quase certa
.Restou o verbo no passado, sem ao menos me dar a digna esperança de conjugá-lo no fururo
.Restou a maré baixa, a ausência de sentidos, a ausência de certeza...a ausência de ser quem sou.
.Apenas me resta terminar o jogo resta um. E que o vento não corte os fracos laços nostálgicos os quais ainda me pertencem...